Serra Gaúcha: um passeio de rafting pelo Rio Paranhana

A Serra Gaúcha é uma delícia. Tem tanta coisa pra ver e pra fazer! Eu, que nasci em Porto Alegre e até que já passeei bastante pelo estado, sinto que ainda há muito mais a descobrir.

Em dezembro de 2018 tive o prazer de fazer um passeio de rafting a convite da empresa Brasil Raft Park, juntamente de outros blogueiros de viagens. A aventura aconteceu no município de Três Coroas e hoje vou contar em detalhes como foi e minha impressão.

Vem comigo!

Três Coroas

Três Coroas é uma cidade de mais ou menos 25 mil habitantes a 92 km de Porto Alegre e 20 km de Gramado. Faz divisa com os famosos municípios de Canela e Gramado e é conhecida pelas suas opções de turismo de aventura, como rafting, canoagem, mountain bike, corrida de aventura, tirolesa, entre outros. Além disso, outra atração turística da cidade é o templo budista Khadro Ling.

O Rio Paranhana faz a divisa de Três Coroas e Canela e é nele que fiz o passeio de rafting. Essa foi a quarta vez que fiz rafting (as quatro nesse rio) e olha, não sou uma pessoa muito destemida para esportes, não (tentei rapel e não foi legal). Mas esse esporte é uma delícia!

Rafting: o esporte e a minha experiência em três coroas

Para quem não conhece, o rafting é um esporte aquático praticado em grupo, em que descemos uma corredeira em um bote com remos. Apesar de exigir do praticante um mínimo de coordenação motora, vi crianças fazendo a atividade (ou, dependendo da idade, apenas acompanhando o bote) e todos recebem instruções e equipamento de segurança (capacete e colete salva-vidas), além de contar com um instrutor credenciado em cada bote.

Bote de rafting em Três Coroas
A configuração de um bote de rafting

Geralmente, as empresas atuantes na região oferecem duas opções de extensão de passeio no Paranhana: 4 ou 8 km. O percurso de fizemos foi de 8 km, com a Brasil Raft Park.

O próprio nome já diz: é um parque, oferecendo espaços de lazer, descanso e aventura. Além de rafting, a Brasil Raft Park oferece outras atividades como tirolesa, quadriciclo, paintball, canopy, rapel, arco e flecha…

Slackline no Brasil Raft Park
Arriscando um slackline

Chegamos perto do meio-dia e fomos recebidos pelo Cristian, um dos sócios-fundadores da Brasil Raft Park. Ele, que fez parte da seleção brasileira de canoagem e participou do comitê organizador dos jogos olímpicos Rio 2016, nos explicou que a Brasil Raft proporciona não apenas as atividades de turismo de aventura, mas também tem parcerias com escolas para desenvolvimento da educação ambiental e oferece também opções de eventos de treinamentos e vivências empresariais.

Existem três horários de saída dos botes por dia. Como o nosso era apenas às 15h, aproveitamos as instalações do parque para fazer um piquenique e descansar. Há mesinhas, redes, um restaurante/copa com opções de comidas e bebidas, slackline..

Piquenique no Brasil Raft Park, em Três Coroas
Nosso piquenique na área das mesas cobertas. Redes ao fundo, para descansar.

Lá pelas 14h30min, começamos a nos aproximar da área central para preenchimento dos documentos relacionados à segurança e pessoa para contato, caso necessário. Recebemos também o capacete e colete, para usarmos por cima da nossa roupa mesmo – o macacão de neoprene (alugado a R$15,00) só é utilizado no frio (sim, tem rafting no inverno!). Nos pés, podemos usar o próprio tênis ou alugar uma das botinhas de neoprene do local (R$10,00 o aluguel).

Equipados para o rafting em Três Coroas
Todos prontos!

Todos os participantes daquele horário sobem em um caminhão ou ônibus que nos leva até a Barragem das Laranjeiras, onde começa o percurso. Preciso dizer que só essa barragem já é lindíssima!

Prontos no bote para o rafting em Três Coroas, em frente à Barragem das Laranjeiras
Começo da aventura na Barragem das Laranjeiras

O nosso instrutor foi o Ervilha, que nos fez rir do começo ao fim! O bote não virou (muita habilidade desses aventureiros, como o pessoal da Brasil Raft fala), nos divertimos muito, e ainda paramos em alguns pontos para fazer floating (descer a corredeira fora do bote, flutuando com o colete salva-vidas), pular no rio de uma plataforma de salto de 5 metros, de onde sai uma tirolesa, e fazer “surf” com o bote em uma onda no meio do rio, deixando a água entrar no bote de propósito.

Surf no Bote durante o rafting em Três Coroas
Surf no bote. Só diversão!

Ah, e falando nisso: molha bastante, viu? Molha muito! Quase desapareci nessa foto, de tanta água:

Surf no bote em Três Coroas. Água entrando dentro do bote.
Ensopados, claro ou com certeza?

A atividade completa, desde receber o equipamento de segurança até chegar novamente no parque, demora umas 3 horas. Na chegada, de volta, há vestiários com chuveiros quentinhos.

Valores e minha opinião

O valor do rafting (em dezembro de 2018) é R$75,00 por pessoa, mais o ingresso do parque, que custa R$10,00 por pessoa (ingresso aventureiro). Entretanto, se algum familiar ou amigo quiser passar o dia junto de um aventureiro, mas não quiser fazer alguma atividade de aventura, essa pessoa paga o ingresso de acompanhante, R$15,00. E, para quem quiser apenas curtir as instalações do parque, sem se aventurar em nenhuma das modalidades oferecidas, o valor do ingresso visitante é R$20,00.

A nossa estadia e atividade foi cortesia da Brasil Raft Park, mas tudo o que estou dizendo aqui é 100% a minha opinião sincera. E eu curti de-mais! Apesar das brincadeiras e piadas, é notável a seriedade e paixão da equipe naquilo que fazem. As atividades são proporcionadas com muita segurança, os equipamentos são bem cuidados e a equipe é realmente profissional. Recomendadíssimo!

Anúncios

Deixe uma resposta