Um Feriadão em Foz do Iguaçu – Parte 4

Em junho de 2018, passei o feriadão de Corpus Christi em Foz do Iguaçu. Este é o último de uma série de 4 posts que mostra como é possível conhecer a cidade em apenas 4 dias, então não deixe de conferir a parte 1 aqui, a parte 2 aqui e a parte 3 aqui.

Dia 4: POLO ASTRONÔMICO, CASSINO, MUSEU DE CERA, BAR DE GELO

Como comentei nos posts anteriores, o quarto dia foi de retorno a Porto Alegre. Entretanto, se você tiver mais tempo que eu para curtir a cidade (e quiser também curtir a cidade com atividades que vão além do ecoturismo), deixo aqui algumas sugestões de outros passeios.

Olhar para o céu no polo astronômico

O Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho faz parte do Parque Tecnológico Itaipu e contempla observações em telescópios e a olho nu, bem como sessões no planetário e divulgação e explicação de fenômenos astronômicos e científicos. Há exposições de réplicas e miniaturas de sondas, naves espaciais e simuladores.

Funciona de terça a domingo, e o passeio dura em média duas horas e meia, com saídas às 10:00h e 16:00h. O ingresso custa R$28,00, mas crianças até 5 anos não pagam. Atenção: é proibido entrar com comidas ou bebidas.

Polo Astronômico em Foz do Iguaçy
Polo Astronômico – Foto: Divulgação

VISITAR UM CASSINO EM PUERTO IGUAZU

Para quem tem curiosidade em saber como é um cassino (ou até mesmo apostar por lá), atravesse a fronteira da Argentina e divirta-se em Puerto Iguazu. Um dos cassinos mais famosos é o Casino Iguazú, aberto em 1994 localizado no Iguazú Grand Resort Spa & Casino.

São 40 mesas de jogo e 220 máquinas slots (caça-níquel). A idade mínima para ingresso no cassino é 18 anos.

Entrada do Casino Iguazú
Casino Iguazú, em Puerto Iguazú. – Foto: Divulgação.

visitar o museu de cera dreamland

Anos atrás, visitar um museu de cera era coisa de quem ia ao exterior, em uma das muitas unidades do Madame Tusseaud’s. Não mais. Uma visita ao Dreamland em Foz do Iguaçu proporcionará risadas e fotos ao lado de celebridades e ícones mundiais e brasileiros, tais como Michael Jackson, o Papa ou até mesmo o pirata Jack Sparrow.

Aberto das 08:00 às 22:00 de terça a domingo e das 08:00 às 19:00 nas segundas-feiras, o museu conta com mais de 100 réplicas de personalidades do mundo da música, política, esportes, cinema, entre outros. O ingresso adulto custa R$80,00 (valor de 2019), e há tarifa reduzida para idosos acima de 60 anos, estudantes, crianças e doadores de sangue do estado do Paraná.

Museu de cera Dreamland
Fachada do museu de cera Dreamland – Foto: Divulgação.

congelar (só um pouquinho) no bar de gelo dreams ice bar

De mesmo dono do Dreamland, o Dreams Ice Bar é o maior bar de gelo do Brasil. As paredes e esculturas são feitas de gelo, e o bar disponibiliza luvas e jaquetas para os visitantes (calças e sapatos, não). No bar, a bebida é liberada por meia hora – as opções são licores, coquetéis, bem como refrigerantes, achocolatados e coquetéis sem álcool.

O ingresso adulto custa R$70,00 e há passaportes para curtir mais de uma atração do Grupo Dream por um preço menor.

Dreams Ice Bar - um bar de gelo em Foz do Iguaçu
Dreams Ice Bar – Foto: Divulgação

The end

Termino aqui a série de posts sobre o que fazer em Foz do Iguaçu. Tem alguma outra sugestão? Deixa um comentário aqui embaixo! Novas atrações ainda podem ser adicionadas ao post futuramente.

Anúncios

Um Feriadão em Foz do Iguaçu – Parte 3

Em junho de 2018, passei o feriadão de Corpus Christi em Foz do Iguaçu. Consegui conhecer muitas das principais atrações da cidade em apenas 4 dias, e explico o dia a dia da viagem nesta série de 4 posts. Este já é o terceiro, então não deixa de conferir a parte 1 aqui e a parte 2 aqui.

DIA 3: COMPRAS NO PARAGUAI, PARQUE DAS AVES E PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU – BRASIL

O terceiro dia, tecnicamente, foi o fim da viagem, já que o último dia seria para retorno a Porto Alegre. Ele foi dividido em três momentos: ida ao Paraguai (Ciudad del Este) para compras, visita ao Parque das Aves e por fim, Parque Nacional do Iguaçu, onde vemos as cataratas do lado brasileiro.

COMPRAS NO PARAGUAI

Apesar de eu ter ido de excursão, esse passeio foi opcional, e quem quisesse ir precisava ir por conta. Estou falando isso porque fiquei muito em dúvida se iria ou não, pois diversas pessoas me assustaram quanto a Ciudad del Este: “é perigoso, não vai, não fica sozinha, não vai”.

No fim das contas, fui. E ainda bem que não dei ouvidos a quem me disse para não ir! Me juntei com outros passageiros e dividimos um táxi até a fronteira, onde passamos a pé. Inclusive, é mais fácil ir a pé pois os carros são mais parados e revistados que pessoas. Só o fato de passar na famosa Ponte da Amizade já é legal. De um lado, Brasil. Do outro, Paraguai.

Ponte da Amizade, fronteira entre Brasil e Paraguai
Ponte da Amizade: à esquerda, Paraguai. À direita, Brasil.

Há relatos de assaltos para quem cruza a Ponte da Amizade a pé, mas não aconteceu nada e nem vi nada. Não achei o bicho de sete cabelas que estavam pintando, sabe? Claro que há de tudo, bastante camelôs e produtos piratas, pessoas te abordando para ir até o seu estabelecimento, e sempre é importante estar atento aos pertences, mas não a ponto de não valer a pena ir, pela minha experiência.

Tinha lido boas referências sobre o free shop Monalisa, então tratei de ir direto para lá. Realmente é uma loja grande, de uns quatro andares e com muitas opções, mas não achei que os preços compensavam tanto assim.

Acabei fazendo poucas compras, mas minha loja preferida foi a Cell Shop. Ótima principalmente para quem busca eletrônicos, mas vendem também bebidas (até mais barato que em outras lojas), cosméticos, roupas, utensílios domésticos e decoração… Eles têm de tudo! A Casa Nissei também tem bastante opções para eletrônicos. Por outro lado, queria um dome para Go Pro e não encontrei em lugar nenhum!

Minha recomendação é que você já pesquise o que quer comprar antes de ir, para saber mais ou menos quanto levar de dinheiro. A Casa Nissei, por exemplo, cobra mais caro no valor dos produtos para quem paga em cartão, então pagar em dinheiro é mais vantajoso. Aceitam dólares e várias lojas também aceitam reais.

Na volta, há funcionários que conferem as sacolas de compras na ponte e os carros, mas não pararam todo mundo. Lembre-se que o limite de compras para fronteira terrestre é de U$300,00. Cruzamos a Ponte da Amizade e pegamos um táxi de volta para o hotel.

PARQUE DAS AVES

O Parque das Aves é um centro de preservação das aves da Mata Atlântica. Podemos chegar pertinho de aves lindas, exuberantes e muito bem-cuidadas! Algumas ficam dentro de cercados e grades, outras estão livres pelas árvores, e outras ainda ficam em viveiros que podemos entrar. Fiquei boba de ver tucanos bem ao meu ladinho, soltos, e encantada no viveiro de araras!

Tucano visto de perto no Parque das Aves, em Foz do Iguaçu
Olha se não é lindo! E estava assim pertinho mesmo, sem grade ou cerca.

Há quatro viveiros de imersão e o mais impressionante, na minha opinião, é o das araras. Há mais de 100 araras coloridas, algumas dormindo, outras paradinhas mas a maioria fica voando para lá e para cá, e a sensação é de que entramos no fime Rio! Lindo demais! Eu acabei filmando mais que tirando fotos nessa hora, então você pode conferir os voos nos destaques do Instagram. A foto abaixo foi em uma área tirada fora do viveiro, já no caminho para a saída.

Araras no Parque das Aves
As deslumbrantes araras

O trabalho no Parque das Aves é muito sério, até porque eles são a única instituição envolvida com a preservação das aves da Mata Atlântica. Por isso, além de termos um contato mais próximo com as aves, também é possível conhecer de perto o trabalho dos biólogos e equipe.

O valor do ingresso padrão de visitação é R$45,00 (preço de 2019) ou R$22,00 a meia-entrada. Moradores da região pagam R$10,00, e crianças de 0 a 8 anos não pagam.

Parque nacional do iguaçu

A última atração do feriado foi, finalmente, visitar as Cataratas do Iguaçu no lado brasileiro – que fica no Parque Nacional do Iguaçu. A entrada é em frente ao Parque das Aves, do outro lado da rodovia, então sugiro deixar os dois para o mesmo dia para não perder tempo de deslocamento.

A entrada foi um pouco demorada devido à fila. Além disso, precisamos esperar um ônibus que nos levaria até mais próximo das cataratas. Descemos na parada Trilha das Cataratas, em que há um mirante de onde já é possível começar a visualizar as quedas d’água, mas ainda não são as principais.

Ah, está vendo o bote chegando pertinho da queda d’água mais estreita no centro da foto? Faz parte do passeio que expliquei no post anterior! Nós ficamos realmente embaixo dessa água toda.

Quedas d'água nas Cataratas do Iguaçu. Um bote se aproxima de uma queda d'água, ficando embaixo dela.
Primeiras quedas d’água avistadas no Parque Iguaçu

Assim como no lado argentino, é preciso fazer uma trilha para chegar até a as cataratas, então novamente reforço a importância de estar com calçados adequados. A trilha tem 1200 metros de extensão e oferece uma trilha panorâmica do conjunto de quedas das Cataratas do Iguaçu. Além disso, ir com capa de chuva é essencial, e mesmo assim… já sabe, né? Não há como evitar se molhar. Capinhas à prova d’água são uma boa opção para proteger o celular.

Ao fim da trilha, chegamos no ponto alto do passeio: essa maravilha aqui da foto!

Vista das principais quedas d'água das Cataratas do Iguaçu
Finalmente, as quedas d’água principais nas Cataratas do Iguaçu

A vista é linda! Essas são as quedas principais, onde há maior vazão d’água. Me senti tão pequena ali embaixo contemplando a força da água… Bem à direita fica a Garganta do Diabo vista do lado brasileiro.

Para quem quiser ter uma visão panorâmica das Cataratas, o Espaço Naipi tem três níveis de mirantes, bem como lojinha de souvenirs. Olha que lindonas são vistas de cima!

Vista panorâmica das Cataratas do Iguaçu
Vista panorâmica das Cataratas do Iguaçu

Valores e pacotes

O Parque Nacional do Iguaçu está aberto diariamente, das 9h às 17h. O custo total é composto de 3 valores: ingresso, transporte e valor do Fundo Iguaçu. Assim como em outras atrações da cidade, os valores variam dependendo da nacionalidade do visitante, mas deixo aqui o valor para brasileiros adultos (a partir de 12 anos): R$28,00 o ingresso + R$11,00 o transporte + R$2,00 a contribuição para o Fundo, totalizando R$41,00. Idosos e crianças até 11 anos pagam somente o valor do transporte.

Além disso, há um passaporte chamado 3 Maravilhas que inclui: entrada no Parque Nacional do Iguaçu + visita Panorâmica em Itaipu + entrada no Marco das Três Fronteiras, além de desconto em estacionamento e lojinhas de souvenirs. O valor desse passaporte é R$99,00 para adultos brasileiros e ele deve ser retirado na entrada do Parque Nacional do Iguaçu. Você pode adquirir o ingresso individual ou o passaporte aqui.

Desconto!

Após a visita ao Parque Nacional do Iguaçu, o nosso ônibus iniciou a viagem de retorno a Porto Alegre. Para quem os interessados em fazer essa viagem (ou qualquer outra da Trip Tri), use o código EMBARQUESEDESTINOS antes de finalizar o pagamento para receber 5% de desconto e, de quebra, me ajudar a continuar trazendo conteúdo para vocês!

To be continued…

Mas se a viagem chegou ao fim, e eu disse que essa seria uma série de 4 posts, o que está faltando?

Pois bem, no próximo e último post sobre Foz do Iguaçu, vou trazer opções de passeios que não fiz, mas que deixo como opção para quem tiver um pouquinho mais de tempo. Até lá!

Um feriadão em Foz do Iguaçu – Parte 2

Em junho de 2018, passei o feriadão de Corpus Christi em Foz do Iguaçu. Consegui conhecer muitas das principais atrações da cidade em apenas 4 dias, e explico o dia a dia da viagem nesta série de 4 posts. Se perdeu o começo dessa história, clique aqui.

DIA 2: PARQUE NACIONAL IGUAZÚ – ARGENTINA

O segundo dia foi o meu favorito de todos. Partimos então para atração mais desejada: as Cataratas do Iguaçu! As Cataratas ficam na divisa entre Brasil e Argentina, mais precisamente na Argentina, mas desaguando no Rio Iguaçu, que faz a fronteira. A maior diferença, então, é que na Argentina vemos as Cataratas do alto, onde caem, enquanto no Brasil, as vemos de baixo, mais de longe.

Muitos dos brasileiros que visitam as Cataratas acabam por visitar apenas o lado brasileiro, talvez por precisarem cruzar a fronteira até a Argentina, ou também pelo ingresso ser mais caro. Entretanto, se eu pudesse dar apenas um conselho, seria: visite o lado argentino. É sério.

Na Argentina, o parque que abriga as Cataratas se chama Parque Nacional Iguazú e ele é enorme! São 67.720 hectares de área de preservação da natureza, então reserve um dia inteiro para a sua visita, e vá com calçados confortáveis para caminhar bastante. Tem cada lugar mais lindo que o outro lá! Antes de chegarmos nas quedas d’águas principais, há várias pelo caminho, já nos preparando para o que vem lá.

O ponto forte das Cataratas é, sem dúvida alguma, a Garganta do Diabo. É onde cai a maior quantidade de água junta, em um abismo de 80 metros de altura, 150 de largura e 700 de comprimento, formando um U. Quando estamos no lado brasileiro, vemos esse abismo mais ao longe e de baixo. Mas no lado argentino, chegamos ao lado da grande queda d’água, lá em cima, e toda a caminhada (e trenzinho) até lá é altamente recompensada!

Grande vazão d'água na Garganta do Diabo
Absolutamente impressionada com a quantidade de água na Garganta do Diabo

Eu fiquei embasbacada, maravilhada, boquiaberta, realmente sem palavras ao chegar lá. A quantidade de água caindo é absurda e percebemos a força da natureza em toda sua magnitude. Esse momento, no alto da Garganta do Diabo, foi sem dúvidas o ponto alto de toda a viagem! A parte mais fantástica e memorável. Por isso, repito: tire um dia e um dinheirinho a mais para visitar o Parque Nazional Iguazú.

Dica essencial: leve capa de chuva! Não tem como chegar pertinho dessa água toda e não sair en-so-pa-do!

Os ingressos para o parque são vendidos na hora, e o valor do ingresso é expresso em pesos argentinos no site, mas convertidos para reais em loco. Em 2018, paguei R$135,00 pelo ingresso, que não tinha direito a meia-entrada de estudante. O preço varia com a nacionalidade/residência e idade. Residentes de Puerto Iguazú, por exemplo, são isentos. Residentes da região de Misiones pagam o valor mais baixo, em seguida argentinos, residentes do Mercosul, e por fim demais nacionalidades pagam mais caro. Há também descontos para criança, mas não para idosos. A lista completa e atualizada do valor dos ingressos pode ser encontrada aqui.

PASSEIO DE BARCO PELAS CATARATAS

Um passeio opcional realizado tanto no lado argentino quanto no brasileiro é o passeio de barco no rio Iguaçu, em que se pode chegar pertinho das cataratas e inclusive embaixo de uma das quedas d’água. O passeio é o mesmo dos dois lados, mas conforme informação passada pelo guia, no Brasil ele é mais caro. Então, se você se interessar, se organize para sair da Argentina. Eu fiz esse passeio e foi incrível!

Passeio de barco no rio Iguaçu
Passeio de barco no rio Iguaçu

Todo o percurso tem duas horas de duração. Fazemos um safári no meio do parque, da selva, e há chances de ver alguns animais selvagens diferentes. Eu vi uns macaquinhos. Chegamos até a beira do rio, entramos em um barco e colocamos todos os nossos pertences em bolsas impermeáveis. Em seguida, o barco segue pelo rio até às primeiras quedas, que ainda não são tão fortes e não é perigoso. Vamos até embaixo delas e obviamente nos molhamos muito, a capa de chuva não adianta pra nada! O tempo dentro do barco deve ser uns 30 a 35 minutos.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O valor desse passeio não é barato: R$250,00 por pessoa. Entretanto, escolhi investir na experiência e achei que valeu muito! Achei demais poder ver as cataratas debaixo e sair literalmente de alma lavada… Quem fizer, lembre de levar uma muda de roupa completa pra trocar depois. O ingresso se compra ao lado da bilheteria na entrada do parque.

TO BE CONTINUED…

No próximo post, falarei sobre o terceiro dia da viagem, onde finalmente visitei o lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu. Até lá!

Um feriadão em Foz do Iguaçu – Parte 1

Ano passado, no feriadão de Corpus Christi, visitei pela primeira vez Foz do Iguaçu. A viagem foi de apenas 4 dias (já incluindo deslocamento), e no começo ainda pensei se valeria a pena, se não seria pouco tempo, já que iria de ônibus… E quer saber? Ainda bem que eu fui! Há tempo o suficiente para conhecer não apenas as Cataratas do Iguaçu, mas também outros pontos turísticos importantes.

Organizo a maioria das minhas viagens sozinha, mas essa eu fiz com agência. Fui de excursão com a Trip Tri, uma empresa gaúcha especializada em roteiros rodoviários. Valeu muito a pena pois foi ótimo para melhor aproveitamento do tempo! Sem contar que o roteiro já estava pronto, calculado, então sabíamos que seria possível realizar todos os passeios previstos.

Em quatro dias, visitei: o Templo Budista, a Hidrelétrica de Itaipu, o Marco das Três Fronteiras, as Cataratas do Iguaçu do lado brasileiro e argentino, o Parque das Aves, e ainda deu tempo para uma voltinha no Paraguai! Quer saber como? Nessa série de 4 posts, vou contar o que fiz e onde visitei em cada dia.

Dia 1: Templo Budista, Itaipu e Marco das três fronteiras

O feriado era na quinta, então saímos de Porto Alegre na quarta-feira lá pelas 19h. Chegamos em Foz do Iguaçu no fim da manhã do dia seguinte, e após almoçar, nos dirigimos ao Templo Budista.

Templo budista chen tien

Templo budista em Foz do Iguaçu
A praça central, com as estátuas de Buda enfileiradas e o templo ao fundo

O templo budista de Foz do Iguaçu tem o nome de Chen Tien e foi construído em 1966. É um dos maiores da América Latina, e tem uma impressionante praça central com 120 estátuas de Buda! Logo na entrada, há esta estátua maior, de 7 metros de altura.

Estátua de Buda no templo Chen Tien
Estátua de Buda no templo Chen Tien

É um lugar tranquilo, de entrada gratuita. Ficamos lá por volta de uma hora e, na minha opinião, foi tempo o suficiente.

Praça central do templo budista em Foz do Iguaçu
Não fiquei pequena perto das estátuas? São mais de 100!

hidrelétrica de itaipu

A usina hidrelétrica de Itaipu, também chamada de Itaipu Binacional, localiza-se na fronteira entre Brasil e Paraguai e é a maior usina do mundo em geração de energia! Apesar disso, justamente por dividir com o Paraguai, não é a maior usina brasileira. Estranho? Pois é.

Lá, fizemos o tour panorâmico, em que, além de aprendermos sobre o local e sua história, também podemos ver o vertedouro de água e a barragem.

Mirante para a Barragem de Itaipu
A impressionante barragem de Itaipu

O vertedouro descarrega a água não utilizada e tem uma vazão 40 vezes maior que a média das Cataratas do Iguaçu! Por isso, só é possível vê-lo em operação na época de cheias. Em Foz, chove mais entre outubro e março.

Vertedouro de água de Itaipu
Moldura para o vertedouro de água de Itaipu, que não estava em operação

Esse passeio dura aproximadamente 2 horas e o valor atualizado, em 2019, é de R$42,00. Existe meia-entrada para diversos grupos de pessoas, tais como estudantes, idosos, crianças, professores e doadores de sangue. Os ingressos podem ser comprados aqui.

Além disso, existem também outras opções de passeios, tais como visitar Itaipu à noite ou inclusive conhecer a usina por dentro.

MARCO DAS TRÊS FRONTEIRAS

O Marco das Três Fronteiras é o encontro das fronteiras entre Brasil, Argentina e Paraguai, representado na forma de um obelisco fixado há mais de 100 anos! O hot point para fotos é a placa indicativa dos países.

Placa da tríplice fronteira em Foz do Iguaçu
Tríplice fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai

O local é uma atração não apenas pela sua importância geográfica, mas também por ter abrigar um Complexo Turístico extremamente agradável com opções gastronômicas regionais (restaurantes e food trucks), shows culturais, lojas e uma iluminação espetacular, que também tem seu show de luzes e águas ao lado do obelisco.

Obelisco no marco das três fronteiras
O obelisco é das cores do Brasil, propositalmente

Fomos à noite, mas dizem que o pôr-do-sol é espetacular! Chegamos a tempo das apresentações de dança folclóricas. Tivemos que esperar um pouquinho, mas vale a pena! Os artistas dançam músicas típicas dos três países, trajados a rigor. As apresentações acontecem de terça a domingo, às 19h30 e 20h.

O Complexo Turístico Marco das Três Fronteiras fica aberto das 14h às 23h. O ingresso adulto custa R$24,00, mas há meia-entrada de R$13,00 para crianças de 6 a 11 anos, idosos brasileiros acima de 60 anos, estudantes e professores do estado do Paraná. Residentes de Foz do Iguaçu são isentos, bem como crianças de 0 a 5 anos.

Entrada do marco das três fronteiras
A entrada do Marco das Três Fronteiras

TO BE CONTINUED…

Com isso, demos por encerrado o primeiro dia. Já aviso que o dia 2 foi o meu preferido, mas os detalhes sobre ele vocês encontram no próximo post.